Share Button

Muitas – ou todas – as decisões importantes na vida de uma pessoa sofrem interferências de parentes e amigos. Essas interferências ganham uma magnitude ainda maior quando um casal anuncia a decisão de se casar. Logo após aos sorrisos, beijos, abraços e felicitações começam as perguntas, sugestões e críticas. Se esse casal decide comemorar as bodas longe de casa, prepara-se para uma dose maior ainda de perguntas, sugestões e críticas. Não foi diferente comigo.

A pergunta inevitável é “por que você não se casa aqui?”. A motivação pode ser diversa para cada um dos casais que decidem festejar suas bodas em uma cidade – ou país – diferente da sua, o destination wedding. Independente da motivação, fundamental é que o local tenha um significado importante para o casal, mesmo que em algumas vezes a escolha do local enseje ausências de parentes e amigos queridos nesse dia tão especial.

A escolha do meu destination wedding ocorreu de forma muito natural. Sendo o meu futuro marido italiano e eu tendo uma grande afinidade com a Itália, a opção por me casar no país da bota foi espontânea, sem dúvidas ou discussões. Mas, claro que não passamos incólumes pelas perguntas, sugestões e críticas. Superada essa fase, iniciamos a contagem regressiva para o nosso grande dia!

Após planejar, sonhar e viver os destination weddings de outras pessoas, daqui a exatos 2 meses estaremos prontos para o nosso próprio destination wedding! Até a chegada do grande dia, compartilharei com vocês minha experiência, anseios e realizações.

 

Beijos e até a próxima!

Zélia R.

(zelia@suoviaggio.com.br)